Nov 15, 2019

Faça seu login

Usuário*
Senha*
Lembrar de mim

Hackers acusados de aplicar golpes são presos em operação do Greco

1
0
0
s2smodern

O Grupo de Repressão ao Crime Organizado da Polícia Civil do Piauí efetuou a prisão de 4 pessoas na manhã de hoje em um flat no bairro Cabral. Foram presos DEIVIDI RODRIGUES DE OLIVEIRA, FRANCIEL ARNAUD PINTO, NAYZA REGINA DOS SANTOS CÂMARA e RODRIGO CUNHA DAS NEVES pelos crimes de organização criminosa, uso de documento falso e estelionato.


A ação criminosa consistia em obter os dados de correntistas, alterar documentos com os dados dos correntistas e efetuar os saques em agências bancárias do interior do estado. Os investigados estavam no Piauí há cerca de 2 meses e vinham sendo acompanhados pela nossa equipe de investigação o que nos fez representar por busca e apreensão junto à central de inquéritos.


A operação foi deflagrada hoje e resultou na apreensão de documentos falsos, dados de contas correntes e equipamentos de informática usados para falsificar os documentos. Os investigados após seus interrogatórios serão encaminhados ao sistema prisional.


O coordenador do Grupo de Repressão ao Crime Organizado – GRECO – delegado Tales Gomes (imagem), explicou como atuavam os quatros hackers presos em Teresina, suspeitos de aplicar golpes bancários no interior do Piauí.

Conforme o delegado, os suspeitos agiam inicialmente conseguindo dados de clientes correntistas, em seguida o grupo conseguia documentos das vítimas e com isso, os dados eram apagados e trocados por outros. Os acusados foram identificados como Deividi Rodrigues de Oliveira, Franciel Arnaud Pinto, Nayza Regina dos Santos Câmara e Rodrigo Cunha das Neves.

Ação dos hackers

“Nossa equipe de investigação levantou informações sobre a presença desse grupo aqui em Teresina e eles são hackers, que obtinham dados para fazer saques. Identificamos um dos locais onde eles estavam hospedados, cumprimos a busca e a apreensão, fizemos a vigilância e constatamos através destas vigilâncias, que o Deivid era o responsável por conseguir os dados dos correntistas; o Franciel, a partir desses dados, pegava documentos verdadeiros, apagava o conteúdo desses documentos, substituía os dados dos correntistas e colocava a foto da Nayza e do Rodrigo para que eles fossem até o interior do estado, em cidades de Campo Maior, Altos, Piripiri, José de Freitas, Floriano”, explicou.

Três crimes

Ainda conforme o delegado Tales Gomes, os suspeitos estavam no Piauí há cerca de dois meses e vão ser autuados pelos crimes de organização criminosa, uso de documentação falsa e estelionato.


“Eles compareciam as agências bancárias e efetuavam os saques, estavam aqui no Piauí há cerca de dois meses. Nos últimos 15 dias começamos as investigações. Eles vão ser autuados por organização criminosa, uso de documentação falsa e estelionato e após o interrogatório serão encaminhados para o sistema prisional”, ressaltou.

Dados de 5 mil pessoas

Os quatro suspeitos, são oriundos dos estados do Pará e Maranhão. Nos computadores deles, os investigadores do GRECO encontraram cerca de 5 mil dados de pessoas. “Eles são do Pará e do Maranhão, os três homens são do Pará, e a mulher do Maranhão. Dois deles, no caso o Deivid e o Rodrigo já respondem pelos mesmos crimes e já tem um grau de amizade de um bom tempo, são da mesma região. Conforme a narrativa da Nayza aqui, ela é garota de programa, talvez desse contexto tenha surgido uma aproximação do grupo. Nossas investigações chegaram a encontrar dados de 5 mil pessoas nos computadores deles, que estavam atuando aqui, mas já estiveram em outros estados”, finalizou.

 

Greco e GP1

DELEGADOS.com.br
Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social

 

1
0
0
s2smodern

Destaques