Nov 15, 2019

Faça seu login

Usuário*
Senha*
Lembrar de mim

'Não vou mexer em nada', diz Serraglio sobre comando da Polícia Federal

1
0
0
s2smodern

 

Serraglio tomará posse como ministro nesta terça, em cerimônia no Palácio do Planalto. Após assumir o Ministério da Justiça, o peemedebista será o responsável pela Polícia Federal.


Após ser anunciado ministro, o peemedebista já havia dito que pretende manter Daiello no comando da PF, "a menos que ele [atual diretor] pretenda deixar o cargo".


Na ocasião, Serraglio acrescentou, ainda, não ter restrições ao chefe da Polícia Federal, "só elogios."


O peemedebista substituirá no ministério Alexandre de Moraes, indicado pelo presidente Michel Temer - e aprovado pelo Senado - para a vaga de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal.

Nesta segunda, na rápida entrevista à imprensa na Câmara, o deputado disse que a equipe dele no Ministério da Justiça será montada "aos poucos" e, segundo ele, o atual secretário-executivo da pasta, José Levi, será mantido no cargo.

 


Orçamento da Lava Jato


Antes mesmo de tomar posse no cargo de ministro da Justiça, Osmar Serraglio já afirmou que manterá a continuidade dos recursos financeiros destinados à Operação Lava Jato para que as investigações continuem.


Ao longo do ano passado, pelo menos três ministros do governo Temer deixaram os cargos por algum fato relacionado às investigações:


>> Em maio de 2016, o então ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), atual líder do governo no Senado, pediu demissão após a revelação de uma conversa dele com ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado na qual o peemedebista afirmou que era preciso um "pacto" para barrar a Lava Jato e "estancar a sangria".


>> Também em maio de 2016, o então ministro da Transparência, Fabiano Silveira, deixou o cargo após a revelação de áudios em que ele, além criticar a Lava Jato, dava orientações a Renan Calheiros e a Sérgio Machado, ambos investigados no esquema de corrupção.


>> Em junho, o então ministro do Turismo, Henrique Alves (PMDB-RN), pediu demissão após ser citado no acordo de delação premiada de Sérgio Machado como beneficiário de propina.

 

G1

 

DELEGADOS.com.br
Revista da Defesa Social & Portal Nacional dos Delegados

 

 

 

 

 

1
0
0
s2smodern

Destaques