Mai 31, 2020

Coronavírus: até delegado do ES é alvo de golpe por WhatsApp

1
0
0
s2smodern


Nem mesmo o titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) escapou da ação de estelionatários que estão aproveitando a quarentena contra a disseminação do coronavírus para aplicar golpes via WhatsApp. O delegado Breno Andrade recebeu uma mensagem onde era oferecido um suposto bônus extra de internet devido a pandemia. Ele não clicou no link, mas iniciou uma investigação sobre o caso.

De acordo com o delegado Breno Andrade, no início desta semana ele estava em casa quando recebeu uma mensagem via WhatsApp que dizia que, em função do coronavírus, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estava disponibilizando bônus de internet extra de 7 gigabytes.

"O DDD era 27, do Espírito Santo, o que foge do habitual, já que os casos que recebemos na delegacia desse tipo de crime envolvem números de outros estados. A pessoa não tinha foto e pedia que eu clicasse em um link para ter o suposto benefício. Identifiquei que era uma mensagem com fim de estelionato e obviamente não cliquei", conta.

DELEGADO INICIA INVESTIGAÇÃO

Mas apesar da tentativa, o golpista teve azar em escolher justo o número telefônico do titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) para tentar aplicar o estelionato. O delegado deu início às investigações para identificar e autuar o responsável pela propagação do conteúdo.

"Demandei os órgãos necessários, como o WhatsApp, o Ministério Público e o Judiciário, e estou aguardando as respostas para identificar a autoria. Possivelmente, se eu clicasse no link, poderia ser executado um vírus no meu aparelho, sequestrar meus dados para pedir resgate, clonar meu aparelho, ou até mesmo o link me levar para preencher um cadastro e roubar dados para fins ilícitos", explicou.


ORIENTAÇÃO É DESCONFIAR SEMPRE

O delegado completou que percebeu um aumento na tentativa de golpes durante a pandemia do coronavírus, muitos utilizando o nome da Covid-19. A orientação é sempre desconfiar de propostas e ter bom senso.

"A orientação é ter bom senso, não clicar em nenhum link de aplicativos de troca de mensagem se tiver alguma dúvida da origem, conferir os canais oficiais das empresas. No meu caso, quem fornece bônus de internet é a própria operadora e não a Anatel. Aí já percebi um erro. Muitas vezes, inclusive, a grafia das mensagens é cheia de erros de português. É preciso desconfiar sempre", contou.

 


A Gazeta

DELEGADOS.com.br
Revista da Defesa Social & Portal Nacional dos Delegados

 

 

 

1
0
0
s2smodern

Destaques